As quadras populares aqui colocadas foram recolhidas junto do povo, de pessoas que gostam de versos e os decoram facilmente.Como não há conhecimento acerca da autoria pressuponho que são todas de cariz popular e, portanto, de autor desconhecido; se assim não for, peço desculpa aos lesados e peço que mo comuniquem.Ocasionalmente colocarei algumas de autores conhecidos, que se enquadrem neste perfil popular e rústico. E como também eu tenho (modéstia à parte) algum jeito para quadras populares, publicarei algumas feitas por mim, devidamente assinadas.
Felipa Monteverde

domingo, 11 de novembro de 2012

Das glórias que há no caminho

Das glórias que há no caminho
Não quero prazer profundo
Já tenho o teu carinho
Que é a maior glória do mundo.

(autor desconhecido)

5 comentários:

Miguel Afonso disse...

Se há glórias neste mundo
quem o pode perceber?
Será assim tão profundo
e glorioso o prazer?

elvira carvalho disse...

Sempre admirei quem escrve quadras com a maior facilidade. Não tenho jeito nenhum para isso.
Quando era mais moça entrei num concurso que tinha por tema o Santo António. A quadra ainda a lembro

Stº António coração d'ouro
não faltes ao prometido
Eu te dou um tesouro
Se me arranjas um marido


E é claro que a quadra não ganhou nada. Como dizia a minha avó, não é de siso o sapateiro tocar rabecão.
Um abraço continuação de bom Domingo

Ailime disse...

Boa noite Felipa,
Este trabalho de recolha de quadras populares é extraordinário. É importante que a cultura se prolongue no tempo.
Estive agora a ler algumas quadras e achei-as deliciosas. Obrigada.Bjs. Ailime

Graça Sampaio disse...

A maior glória do mundo
Maior do que o mar sem fundo
Era ter-te sempre aqui
E nunca mais me ver sem ti.

Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

O carinho poe de ser mesmo uma das maiores glória que temos.
Belíssima quadra.
Felipa, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.