As quadras populares aqui colocadas foram recolhidas junto do povo, de pessoas que gostam de versos e os decoram facilmente.Como não há conhecimento acerca da autoria pressuponho que são todas de cariz popular e, portanto, de autor desconhecido; se assim não for, peço desculpa aos lesados e peço que mo comuniquem.Ocasionalmente colocarei algumas de autores conhecidos, que se enquadrem neste perfil popular e rústico. E como também eu tenho (modéstia à parte) algum jeito para quadras populares, publicarei algumas feitas por mim, devidamente assinadas.
Felipa Monteverde

quarta-feira, 30 de março de 2011

A palavra de amor

A palavra de amor
É palavra muito linda;
Não sabes quanto eu sofro
Por não a ouvir ainda.

4 comentários:

Miguel Afonso disse...

Palavra de amor é linda
como linda é a paixão;
se não a ouviste ainda
escuta bem meu coração.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Felipamiga

Já estamos a um de Abril
e eu estou feito quase em tiras
com as confusões mais que mil
e com o dia das «mintiras»

Pobre País temos nós
onde mentir é banal
com pais, tios e avós
sempre, sempre em Carnaval

Pois então deixo estas quadras
de pé mais do que quebrado
as madrinhas não são fadas
creio que tenho mau olhado

Fico-me aqui e portantos
(sem s) mas com ternura
somos tontos, somos tantos
sorte má e sina dura...

Qjs

Felipa disse...

Amigo Miguel

Palavra de amor calada
mas dita por um olhar
é palavra abençoada
pelo padre no altar.

Mas confesso, tenho pena
de quem a não escutou;
vê lá se a tua pequena
ao teu peito se encostou.

Se ao teu peito se encostou
e assim encostada ouviu
a tal palavra de amor
que ao teu coração pediu.

Beijo

Felipa disse...

Ferreira amigo

Hoje é dia um de abril
dia em que se mente tanto
como em outros mais de mil
que passaram entretanto.

Mas eu não tenho a pinta
de quem acredita em tal:
se há por aí quem minta
mente muito, muito mal.

E assim se vai passando
o tempo neste cantinho:
fadas madrinhas quebrando
promessas ao pobrezinho.

Mas somos tantos, e tontos
cada um com o seu fado
que, vá lá, já digo prontos,
só para o deixar calado!

Abraço