As quadras populares aqui colocadas foram recolhidas junto do povo, de pessoas que gostam de versos e os decoram facilmente.Como não há conhecimento acerca da autoria pressuponho que são todas de cariz popular e, portanto, de autor desconhecido; se assim não for, peço desculpa aos lesados e peço que mo comuniquem.Ocasionalmente colocarei algumas de autores conhecidos, que se enquadrem neste perfil popular e rústico. E como também eu tenho (modéstia à parte) algum jeito para quadras populares, publicarei algumas feitas por mim, devidamente assinadas.
Felipa Monteverde

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Quero uma recordação

Quero uma recordação
Que não consiga esquecer:
Que possa o teu coração
Meus carinhos esconder.

8 comentários:

Miguel Afonso disse...

Recordação, ó saudade
de quem ainda não vi;
meu coração tem vontade
de estar perto de ti.

Kiss

Nilson Barcelli disse...

Só não nos esquecemos do amor... e pouco mais.
Bonita quadra, Felipa. Gostei.
Um abraço.

✿ chica disse...

Lindo isso,Felipa!

Vim te dizer que adorei teu carinho comigo lá no blog...

Não te preocupa pois tuas irmãs hão de gostar de ti como és e ficarão felizes em estar juntas, não é?

Foste muito querida comigo e parece que te conheço até,legal isso!

Chego no teu perfil e vi tantos blogs,(como eu,srsr) e mais isso de afinidade então.

Vamos nos vendo, cert amente,tá? beijos,tudo de bom,chica e uma feliz Páscoa!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Felipamiga

Na esquina da minha rua
plantei uma saudade
muito minha, também tua
recordando a mocidade

O galego Xerafim
um homem com tradição
De um só modo, de um só sim
sempre agarrado ao carvão

E vou-me embora calado
da rua que foi a minha
tento cantar o meu fado
e recordar a Guidinha

Qjs e boa Páscoa

Felipa disse...

Ferreira amigo,

Quem tem saudades no peito
juntinho do coração
consegue arranjar um jeito
de iludir a solidão.

E a nostalgia que bate
em noites de longa insónia
vai tocando a rebate
sinos que há na memória.

Ruas de infâncias passadas
de juventudes s'quecidas
continuam lá guardadas
nessas memórias queridas.

E por isso às vezes bate
essa intensa nostalgia
quando os sinos, a rebate
lembram dias de alegria.

Eu tive ruas, outrora
Onde morei pequenina
Das quais nunca fui embora
E ainda corro ladina.

Mas a esperança é tardia
Em trazer o que eu quero
Que o futuro é nostalgia
De passados que ‘inda espero.

Abraço

JB disse...

Bem, nem sei se comento a quadra do seu post ou este último poema do seu comentário!

Maravilhoso! Mas a saudade é sempre sentida na ausência de algo ou alguém que nos é muito especial, que temos no coração... e o tempo não cabe na saudade!

Gostei!!!

Beijinhos

Nilson Barcelli disse...



De passados que ‘inda espero
Do futuro que não vejo
Há um presente que eu quero
Deixar-te aqui o meu beijo...

ETERNA APAIXONADA disse...

Querida amiga do coração

Saudades... Saudades... Mas estou com problemas de acesso... Insisto hoje um pouquinho mais para poder deixar aos amigos queridos uma mensagem de Páscoa.
Que a alegria da ressureição de Cristo esteja em seu coração hoje e sempre.
Feliz Páscoa, junto aos que ama!
Beijos com meu carinho.

Passe no blog Miminhos, tem um mimo de Páscoa para os amigos.